Alguns pacientes já se submeteram a uma cirurgia ao pé, na maior parte dos casos associada a dores consideráveis e a um longo período de condicionamento no andar.

Os resultados muitas vezes não eram satisfatórios e por essa razão, muitos médicos desaconselhavam a cirurgia ao pé. O lema era “esperar” – com isso, o problema sem tratamento agravava-se cada vez mais, ao longo do tempo.

Vinda dos EUA, onde a cirurgia ao pé é desde há décadas uma área de especialidade própria, esta cirurgia começou, também, a se desenvolver de uma forma progressiva na Europa, como área de especialidade própria com a utilização de métodos de operação mais cuidadosos, mantendo as articulações dos pés intactas.