Dedo em malho, dedo em martelo e dedo em garra

Dedo em malho, dedo em martelo e dedo em garra

Os três tipos de deformações mais comuns que acometem os quatro dedos menores do pé são o dedo em malho, dedo em martelo e dedo em garra.

Estas deformações aparecem muitas vezes associadas a um joanete.

O dedo grande do pé faz pressão contínua sobre os dedos mais pequenos que estão ao seu lado e deforma-os aos poucos. Isto dá origem a novos pontos de pressão e a pele reage com a formação de calos na parte posterior dos dedos. Estes são inestéticos e frequentemente têm tendência a inflamar.

O Dedo em Malho é uma deformidade que ocorre na articulação mais próxima à ponta do dedo. Consiste na flexão plantar do dedo, podendo formar uma calosidade na parte de cima, muitas vezes dolorosa pela fricção com o calçado, ou calosidade na ponta do dedo com deformidade da unha. É mais frequente em dedos longos e acomete principalmente o 2º e/ou o 3º dedo.

O Dedo em Martelo é aquele onde a deformidade ocorre na articulação do meio do dedo, ocasionando flexão plantar e produzindo uma calosidade dolorosa na parte de cima pelo atrito da articulação deformada com o calçado. É mais frequente em dedos longos e pode aparecer como deformidade única ou em vários dedos (múltipla).

O Dedo em Garra é uma deformidade mais complexa e que se apresenta com a hiperextensão (para cima) da articulação que une o dedo ao resto do pé e da flexão (para baixo) da articulação do meio do dedo. Esta deformidade provoca dores plantares na porção frontal do pé e calosidades muito dolorosas no dorso dos dedos acometidos, podendo até mesmo impossibilitar o uso de calçado fechado ou com sola fina.

O tratamento cirúrgico tem por objetivo alinhar e corrigir as deformidades dos dedos, estabelecendo uma posição mais anatómica e eliminar os pontos de pressão com o calçado.
Existem diversas técnicas cirúrgicas que podem ser utilizadas isoladamente ou em conjunto, dependendo do grau da deformidade, rigidez e/ou desvios articulares associados.
Osteotomias, condilectomias, artrodeses, transferências e alongamentos tendíneos são os procedimentos utilizados pelo cirurgião ortopédico para corrigir as deformidades dos dedos menores.